segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Saul e as jumentas.

E perderam-se as jumentas de Quis, pai de Saul; por isso disse Quis a Saul, seu filho: Toma agora contigo um dos moços, e levanta-te e vai procurar as jumentas.” I Sm 9.3

Na procura das jumentas Saul passou por Efraim, terra de Salisa, terra de Saalim, terra de Benjamim. (Vs.4) 

“Passaram, pois, pela montanha de Efraim, e dali passaram à terra de Salisa, porém não as acharam; depois passaram à terra de Saalim, porém tampouco estavam ali; também passaram à terra de Benjamim, porém tampouco as acharam.” I Sm 9.4

Já na terra de Zufe (Vs.5) Saul deseja voltar, mas o seu moço disse que naquela cidade tinha um homem de Deus – Samuel.

“Vindo eles então à terra de Zufe, Saul disse para o seu moço, com quem ele ia: Vem, e voltemos; para que porventura meu pai não deixe de inquietar-se pelas jumentas e se aflija por causa de nós.” I Sm 9.5

Nos versículos 7 e 8 deste mesmo capítulo trava-se mais um diálogo entre Saul e o seu moço, a respeito de como compareceriam diante do profeta sem nenhum presente, mas o moço convenceu-o a ir relatando que ainda tinha um quarto de um siclo de prata.

Deus através das jumentas estava dirigindo Saul para ser ungido rei de Israel. Estamos discernindo os propósitos de Deus para nossa vida? Qual tem sido o nosso enfoque? Jumentas? Coisas materiais?

Tem muitas coisas que acontecem em nossas vidas: perdas, dores e desentendimentos - Deus pode estar direcionando futuramente para grandes bênçãos? Foi através da perda das jumentas que Saul teve um encontro com Samuel, não foi?
E aí, estamos discernindo o que se passa conosco?

No livro do Eclesiastes, no capítulo 3, a Bíblia nos descreve que há tempo para todas as coisas, mas logo após no capítulo 8, ela diz que o coração do sábio discernirá... 

“... há tempo para todo propósito debaixo do céu:...” Ec 3.1 b
“... e o coração do sábio discernirá o tempo e o modo.” Ec 8.5 b

Discernir os propósitos de Deus para nossas vidas é necessário. Eles são maiores, mais altos e mais sábios que os nossos! 

2 comentários:

  1. Lembro-me da história do menino que prendera a mãozinha dentro do vaso. A mãe orintou a criança a retirá.la da mesma maneira que entrou. A resposta: - Não, mamãe, senão eu perco a moedinha que tem dentro dela.
    Assim não chegamos a lugar algum enquanto estivermos procurando jumentas perdidas.

    ResponderExcluir