sexta-feira, 28 de outubro de 2016

O Senhor Jesus voltará ainda uma vez.

Os profetas desde a antiguidade anunciaram, e muitas vezes, a vinda de um libertador, um mensageiro de Deus, um fiel escolhido, um ungido que operaria a salvação e a glória do Israel de Deus – era o chamado Cristo ou Messias. Assim esses testemunhos antigos se cumpriram, “Deus visitou o seu povo”, veio o Emanuel (Deus conosco) – Jesus. (Is 7.14; Is 9.1,2, 6; Mq 5.2) Isto nos mostra que igualmente as palavras ditas por Jesus e pelos apóstolos certamente terão seu cumprimento – Jesus voltará ainda uma vez.

Falando Jesus publicamente aos Judeus ou aos seus discípulos em particular, quer seja por parábolas ou claramente, ensinou-os e advertiu-os de sua partida e ainda uma vinda última. Seus discípulos com objetividade e entendimento perguntaram: “... chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda...?” (Mt 24. 3)

Consideremos, em exemplo, o que segue em citações por:
_  parábolas (Mt 25.1-13 e 31-34; Lc 12. 36-40)
_ e diálogos  (Mt 24. 23-27 ; Jo 14. 2,3)
_ e revelação (Atos 1.11; Ap 1.7; Ap 22. 20).

Os discípulos de Jesus não só aprenderam como também passaram à frente o ensino, não para simplesmente transmitirem conhecimento, mas para aplicação prática da necessidade de vigilância em uma vida santificada e de uma esperança consoladora e gloriosa, compensatória por todas as renúncias e perseguições sofridas no cristianismo. Até hoje é importante que os pregadores do evangelho conheçam bem isto e divulguem com autoridade e alegria pois é uma verdade e por demais grandiosa.

Observemos os seguintes textos indicados em citações de:
_ Paulo    (apóstolo)             - Tt 2. 11-13; II Tm 4. 1,7,8; 
_ Escritor anônimo               -  Hb   9. 27, 28
_ Tiago    (apóstolo)             -  Tg   5. 7 e 8
_ Pedro   (apóstolo)             - II Pe 3. 3-9
_ João     (apóstolo)             - I  Jo  2. 28  e  3.2
_ Judas   (irmão do Senhor)          -  Jd 1.  14 e 15


Diferentemente da sua primeira vinda, quando em carne manifestou-se em grande simplicidade, padecendo desprezos e graves humilhações e muitos nem o perceberam, sua próxima vinda será poderosa, gloriosa, temida, juízo determinativo da sorte eterna vindoura, pelo que para uns será motivo de júbilo e para outros lamentação e pavor.

Ainda que muitos textos bíblicos vistos nesta mesma lição tenham trazido alguma informação, os agora selecionados e citados a seguir por si só responderão à pergunta: “Como e Quando Isto Acontecerá?”. Estudemos umas poucas referências: Mt 26. 63,64; Mt 24. 26-31; I Ts 4. 15-18; II Ts 1. 4-10; II Pe 3. 10-14.

Posto tudo isso que as Escrituras nos revelam, consideremos qual deve ser nossa prioridade e como deve ser o nosso viver diante de tão importante evento – a volta de Jesus.    


Procuremos, pois, que dele sejamos achados imaculados e irrepreensíveis em paz. “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória, ao único Deus, Salvador nosso, por Jesus Cristo, nosso Senhor, seja glória e majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, agora e para todo o sempre. Amém!”

* Texto cedido por: EBD – Classe de Juvenis “Escatologia”.
 4º. Trimestre de 2016 ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTERIO GUARATINGUETÁ-SP 

Nenhum comentário:

Postar um comentário