quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

As bençãos de Deus para Israel.

Após Israel receber as promessas de Deus em estar com ele e fazer dele grande nação, desce com a família ao Egito para encontrar-se com José. Após um emocionado encontro com o filho, Jacó é apresentado a Faraó que ordena que se lhe dê por habitação e possessão a terra de Gósen. Lá frutificaram e multiplicaram-se muito e se tornaram uma grande nação. Antes da morte Israel abençoa os filhos e dá ordem para que seja sepultado em Canaã no sepulcro de seus pais.

Assim que Jacó recebe a notícia do estado de José no Egito, parte com toda família a encontrar-se com o filho. Partindo para o Egito, passa por Berseba onde oferece sacrifícios a Deus; em visões da noite ouve promessas de grande multiplicação e de retorno a terra de Canaã.

No Egito, após encontro com José, Jacó é recebido em audiência por Faraó, e ousadamente assume posição de superioridade espiritual ao abençoá-lo por duas vezes. Neste encontro o patriarca destaca a idade de cento e trinta anos, admite-os poucos e maus em relação aos anos de vida de seus pais. Depois disto, Israel habitou na terra de Gósen, onde frutificaram e multiplicaram-se muito até que se torna em uma grande nação.

Outro registro que se destaca é o juramento com que intimou Jacó a José de que seria sepultado em Macpela e nisso se prostrou, adorando a Deus.

Em visita ao pai enfermo, José é acompanhado por seus dois filhos. Jacó faz lembrança das promessas de Deus, e assume em adoção Efraim e Manassés como seus filhos. Ao abençoá-los, apesar da intervenção de José, conscientemente toma o menor e o põe por maior.

Depois chamou Jacó a todos seus filhos e profeticamente abençoou a cada um. Algumas dessas profecias são muito interessantes. Destaca-se entre elas, a palavra dada a Ruben que por seu pecado perdeu a primogenitura, a palavra de desaprovação dada a Simeão e Levi que por serem dominados pela ira, seriam espalhados  em Israel; Levi não recebeu herança em Israel. E ainda, as maravilhosas bênçãos dadas a José, que em meio às adversidades sempre manteve a fé.

No entanto, as palavras dada a Judá são as de maior significado profético, pois salienta o louvor de seus irmãos que a ele se inclinariam, seu poderoso e eterno domínio e sua prosperidade no vinho (alegria) e no leite (alimento).  Estas palavras dada a Judá têm seu cumprimento no reinado de Davi e seus descendentes, e desenrola-se de forma final no próspero e eterno reinado de Jesus, o leão da tribo de Judá.    (cf. Is 55.1; Jo 4. 22)

Após abençoar seus filhos, Jacó ordena-lhes que seja sepultado na cova de Macpela em Canaã, onde foram sepultados sua mulher Léia e os patriarcas Abraão e Isaque com suas mulheres Sara e Rebeca.  Sob as ordens de José, os médicos egípcios embalsamaram a Jacó, o príncipe que lutou com Deus, em grande e fúnebre cortejo foi levado, e por fim sepultado em Canaã.

Tão logo o patriarca Jacó falece, os irmãos de José temem por vingança, e José mais uma vez consola seus corações mostrando a grande obra de Deus em favor do seu grande povo. As bênçãos de Deus alcançaram a José e sua descendência, e antes de falecer lembra aos filhos de Israel que um dia Deus os visitaria e os faria subir à terra que jurou dar a Abraão, Isaque e Jacó. Então, por fé, José fez os filhos de Israel jurar que transportariam seus ossos para Canaã quando isto se cumprisse.


Deus é fiel em suas promessas. Os patriarcas em meio as suas árduas peregrinações sempre foram consolados com grandes milagres e promessas de bênçãos. Em Jesus se cumprem todas as promessas dadas ao povo de Deus; e ainda chegará o dia em que seremos transformados e transportados em um corpo incorruptível para a Canaã celestial e com Ele eternamente reinaremos.

Texto cedido por: EBD – 4º. Trimestre de 2016 ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTERIO GUARATINGUETÁ-SP
“Os Patriarcas, de Abraão a José”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário