sábado, 20 de maio de 2017

A parte inocente são os filhos.

Se o entendimento correto do que está escrito no livro do evangelista Mateus, no capítulo 19 e verso 9, autoriza o novo casamento da "parte inocente," o texto é divergente dele mesmo.

Por que? Bem, se a suposta parte inocente é inocente mesmo, merece ser considerado que esta não induziu o cônjuge ao erro, não o expôs ao adultério, cumpriu toda a sua obrigação, tentou a reconciliação, perdoou, suportou, então já que o “inocente” nessa trama toda está livre, o resultado é a quebra do casamento. Assim a "parte culpada" está livre, (já que o casamento que é um só, tanto para o culpado quanto para o inocente) para casar novamente? Sim.

Consequentemente, pelo resultado explanado anteriormente, com uma aliança quebrada mutuamente, o “culpado” está, portanto, reabilitado e tudo isso graças a suposta parte inocente. Incoerentemente ele está justificado! Oh que ironia!! Oh, quanto Amor!!?

O Senhor que não tem o culpado como inocente, agora está mudado? Ele reavaliou sua Palavra e resolveu alterar seu decreto soberano de Criador e Sustentador de tudo?

Se desmancha a união para um, não desmancharia também para o outro? Claro, a união no casamento não é só sexual, é psicológica, emocional, de objetivos e compromissos.

Se o divórcio está sendo permitido de acordo com a justificativa da prostituição, é porque o elo foi quebrado por uma parte. Qual parte, se eles deveriam ser um? Foi quebrado por eles e deve ser reconstruído também por eles? Obviamente.

Deus não se deixa escarnecer, todo novo casamento após o divórcio é proibido como sendo adultério, incluindo o novo casamento da suposta "parte inocente", que é NENHUMA.

Inocente nisso tudo são os filhos, que estão sendo atirados ao longe, desprezados, manipulados e a família que está sendo destruída!

Conforme Efésios 5.32, o apóstolo Paulo diz que grande é o mistério relacionado ao casamento, pois o compara com o relacionamento de Cristo com a Igreja! Nós, na nossa condição de esposa de Cristo, constantemente estamos a traí-lo com nossos delitos e ofensas. Somos nós, nesse caso a parte culpada, mesmo assim, o Criador nos chama ao arrependimento, à reconciliação! Em Oséias, nós o povo de Deus, somos comparados à prostituta com vários amantes, todavia, Ele chama o seu povo para que fique sendo só dEle, ao invés de nos dar o divórcio! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário