segunda-feira, 27 de março de 2017

A transfiguração.

Os evangelhos segundo escreveram Mateus, Marcos e Lucas relatam o episódio no qual o Mestre aparta três de seus discípulos e os leva a um alto monte.

O médico amado conta que o Senhor estava orando e mudou a aparência de seu rosto. Também suas vestes ficaram brancas e muito resplandecentes.

Dois homens falavam com Ele a cerca de sua morte, os quais foram lhe revelados serem Moisés e Elias.

Uma voz do céu fez com que os discípulos caíssem: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o.

Primeiramente poderíamos admitir que Jesus não quis dar essa revelação aos outros enviados? Sim, até advertiu-os para que não contassem.

Talvez não suportariam? Certamente.

A morte dEle era o tema daquela conversa e é o ponto mais alto da Palavra? É.

Desse momento em diante estava sendo colocado um novo concerto, no sangue do Cordeiro e os profetas e a lei concordam em Cristo? Obviamente.

Os profetas ansiavam por ver esse dia e a lei testificou do Messias na sua totalidade.

O Eterno desce do monte e revela a eles que Elias já tinha vindo e fizeram com ele o que quiseram, então entenderam que Ele falava de João Batista.


Uma experiência e tanto para firmar a fé dos apóstolos e prepará-los para os acontecimentos vindouros!

domingo, 26 de março de 2017

Mica e a cegueira espiritual.

A frase "cada um fazia o que bem parecia a seus olhos" é sempre citada no livro dos juízes, devido ao desvio espiritual do povo de Israel e afastamento de Deus.

Mica devolve o dinheiro de sua mãe e ela faz uma imagem de escultura e fundição.

Entretanto, fez um éfode (roupa sacerdotal) e terafins (imagens) e consagrou a um de seus filhos para que lhe fosse por sacerdote.

Um mancebo, levita de Belém de Judá peregrinava por ali, buscando comodidade e aceita o convite para ministrar naquela residência por salário.

Mica o abençoa e entende que a partir daquele momento Deus lhe faria bem.

Pobre homem, desorientado, cego espiritualmente, fazendo tudo errado e esperando ainda ser galardoado pelo Altíssimo! Como poderia?


Pois é...

Aproveitemos pois os ciscos!


Lendo e refletindo sobre os textos "quando Deus decide usar o cisco" do pastor Carlos Roberto e "os ciscos..." de Murillo Vinagre, (links dos artigos de ambos abaixo dessa publicação) vemos que o colírio foi recomendado em Apocalipse a uma igreja que se achava rica, que não tinha falta de nada, entretanto, na verdade, na visão do Eterno era: desgraçada, miserável, pobre, cega e nua.

Achava que estava fazendo a obra dEle, daquele jeito? Coitada! A correção é realmente resultado ainda da misericórdia divina? Certamente.

O Senhor corrige e repreende aquele a quem ama? Obviamente. Ele bate à porta e se abrirmos, Ele entrará e ceiará conosco! E se não dermos crédito a sua mensagem?

O conselho dEle era que ela comprasse ouro provado no fogo, vestidos brancos e ungisse os olhos com colírio para que realmente pudesse ver e não apenas pensar que via! Militar o bom combate deve ser legitimamente? Claro.

Realmente o cisco é algo insignificante, e seu incômodo temporário. Deus é grande e soberano, usa quem e o que Ele quer, para fazer o que decide, "Ele não se deixa escarnecer".

O homem, ao andar em seus próprios caminhos, com suas próprias ambições terrenas e levianas, tornando-se cego espiritualmente, em todo o seu orgulho e soberba tem de arcar-se a voz da mula, sim... a simples mula.

No livro sagrado, em I Co 1.27 - 29 diz que "(...) e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes, e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele".

O insignificante cisco também pode vir de um mover de Deus, para cumprir em propósito divino e isso não devia ser motivo para tristeza e brigas, mas para louvor e agradecimento do seu nome? Sim.

Visto que o nosso Pai Eterno corrige a aquele a quem ama, e no caso de um líder, é o cuidado de Deus com o seu povo!

Atentemos pois para a longanimidade dEle, pois Ele não se deixa escarnecer!

Tomemos nós cuidado, para escutar a voz do Senhor enquanto Ele está usando o cisco, ou a jumenta, pois para Geazi (2Rs 5.20) a sua desobediência lhe rendeu a lepra!

E qual seria o próximo passo do Altíssimo? Bem, não é inteligente, nem prudente não ouvir o Onipotente quando fala, ouçamos então!

Pois é...


http://murillovinagre.blogspot.com.br/2017/02/o-cisco.html

sexta-feira, 24 de março de 2017

José, o escolhido.

O evangelista declara a enorme grandiosidade do escolhido para ser pai do homem Jesus ao tentar deixar Maria secretamente, para não infamá-la depois de identificada a sua gravidez.

Mas era honesto e submisso ao Senhor e obedeceu ao mandado: não a deixes e o nome será Jesus!

Também muito humilde a ponto de não questionar a orientação de fugir para Egito e demores por lá!

Voltou do Egito na direção do Altíssimo e avisado em sonhos por revelação foi para Galiléia.

Que homem e alguns pensam que o Eterno opta por qualquer um que aparece!


Pois é...

Maria, a cheia de graça.

Nas Escrituras a introdução do primeiro encontro com o mensageiro divino é aclamada assim: salve agraciada, o Senhor é contigo, bendita és tu entre as mulheres!

Seria pequena coisa achar graça diante de Deus? Não, ela certamente tinha muitas qualidades extremamente positivas.

Ela engrandece ao Altíssimo que atentou na sua humildade e foi dócil na sua missão.

Soube entender a chamada do filho ao ficar algum tempo a mais com os doutores no templo, ainda com doze anos.

Quando o Mestre lhe questionou não ousou impor sua autoridade materna e discerniu o Emanuel: mulher, que tenho eu contigo?

Entretanto disse aos servente: fazei tudo quanto ele vos disser!


Pois é...