sábado, 5 de março de 2016

Ressurreição: o que é isto?




Ressurreição é passar da morte para a vida? Certamente. 

Algo impossível para os homens, mas é a esperança dos que passaram desta vida e serviram a Deus.

Essa promessa serve de consolo para os que ficam e perdem entes queridos? Sim.

Entretanto, no texto sagrado também encontramos outro significado? Com certeza. 

Na epístola aos Romanos esclarece dizendo o homem nasce morto e é do plano do Altíssimo que ele passe da morte para a vida espiritual? Obviamente.

Essa é chamada de a primeira ressurreição? Sim. Seja num sentido ou no outro, esta é uma promessa divina e uma esperança de revivermos e reencontrarmos nossos entes queridos? Claro.



Pois é...




A lei aperfeiçoa o homem?






A lei que foi ministrada por Moisés teve o seu importante papel de aio, guia. 

Sua função foi cumprida? Sim, claramente, mas não era aperfeiçoar o homem.

Precisava de algo mais, completo - e o novo concerto eterno em Cristo Jesus, em sua morte, pode sim transformar o mais vil pecador.

Ele não precisa de complementos, é suficiente, sublime e tem poder não só de começar a boa obra de aproximação do Eterno, como também de completá-la até aquele grande dia? Sim.

Entretanto se desprezarmos este novo testamento, o que nos restará, condenação? Certamente.  

O profeta já mandou a mensagem: “não desprezeis os dias das pequenas coisas”, ou ainda "como escaparemos nós se não atentarmos para tão grande salvação?".



Pois é...  


Votos e juramentos, é pecado?


Precisamos cumprir nossas palavras e acordos...

Mas, devido a nossa fragilidade humana algumas vezes podemos falhar? Claramente.

Algumas vezes podemos estar em situações difíceis mesmo tendo honestidade e boa intenção? Sim, certamente.

Tudo isso sendo analisado no mundo terreno e agora em relação ao Eterno, não ficaria, mais complicado? Obviamente.

Muitas vezes falamos, deixamos sair palavras para com Deus? Sim. 

Até mesmo Jó falou de modo errado em relação ao altíssimo? Claro.

O jovem Eliú, entretanto, o corrigiu e demonstrou que Ele é misericordioso - mas também precisamos tomar cuidado, para não sermos demasiadamente rebeldes ou desobedientes? Com certeza. Por quê? Porque até um rei ficou em situação delicada ao ver sua filha vindo em sua direção após ter vencido uma guerra e ter feito um mau voto...um voto precipitado.


Pois é... 



Esperança.


O ser humano precisa de esperança seja para recomeçar um negócio falido, para iniciar um relacionamento ou um investimento. 

Num momento difícil de adversidades diversas também se faz necessário acreditar que o problema pode ser resolvido. 

Em tempos de crises ao invés de só incutir pensamentos negativos ou até "realistas" a crença que dias melhores ainda virão é muito bem vinda. 

Já o cristão precisa ter esperança para esperar no tempo de Deus, em suas promessas e no seu livramento? Certamente.


Pois é... 



Qual a situação dos mortos?

A situação dos mortos sempre foi um questionamento dos seres humanos. A filosofia também teoriza suas ideias sobre o assunto. As religiões são chamadas para se posicionarem e muitas vezes dão respostas incompletas para as várias dúvidas existentes.

Têm religiosos que pensam que os mortos ainda influenciam nessa vida e caem em tentações e desvios grandes - uma pena.

Contudo, sendo a Palavra a verdadeira orientação e farol, podemos desprezá-la? Não. 


Quando priorizamos o texto sagrado acima das outras formas de pensamento é louvável? Obviamente. Se submeter ao Altíssimo além de tudo significa segurança? Claramente.


Pois é ...



A genealogia de Jesus.



Os judeus dão grande importância à genealogia de Jesus devido principalmente às profecias a respeito da vinda do Messias. O Filho de Deus tem que vir da descendência de Abraão, Davi.

O próprio evangelista Mateus que escrevera para eles começa o seu escrito com uma detalhada pesquisa e demonstrando ser Ele o Desejado das Nações. 

A genealogia cumprida no Eterno dá firmeza a nossa fé, crédito a pregação e alento àqueles que por muito tempo o esperaram.


Pois é... 


sexta-feira, 4 de março de 2016

Babilônia?



Quando se trata deste assunto sempre vem à tona a ideia de um sistema religioso afastado do Criador ou de sua essência. Muitas vezes até se referindo a uma organização religiosa, caracterizada por desvios bíblicos notórios. Mas é só esta instituição religiosa que pode e deve ser enquadrada como Babilônia? Na verdade não. 

Esta mulher se contrasta muito com a outra vestida do sol? Sim. Ou estamos vestidos, iluminados e regidos pelo Eterno ou estaríamos envolvidos com as coisas terrenas? Sim, claramente.

Rotulamos os outros de Babilônia e não analisamos nós mesmos? Isso é correto?

Um povo foi liberto do Egito que é o mundo, mas depois se desvia do seu marido, adorando outros deuses - idolatria que é considerada e chamada como prostituição no livro sagrado, pois largou o esposo e foi ao encontro de amantes? Obviamente.

Para onde foi levado este povo? Babilônia. Então ela é o lugar de castigo do povo desviado? Certamente.

Então também devemos sair de Babilônia espiritual? Claro.

A orientação do profeta é sair de Babilônia? Sim.

Sai dela povo meu, diz o Deus amoroso!



Pois é ...