segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Cordas passageiras.

Muitas vezes nos vemos presos por algumas cordas, até mesmo colocadas por “amigos”. Mas, o Senhor das estratégias pode estar trabalhando através de nós. Será?

No capítulo 15 do Livro dos Juízes, temos Sansão sendo entregue aos filisteus, amarrado por cordas, pelos seus irmãos. Os israelitas estavam com medo de represarias dos dominadores daquele momento.

O quadro à vista de todos era que o juiz de Israel estava buscando por sua mulher e fica muito desapontado quando soube que ela tinha sido dada a outra pessoa e põe fogo às searas dos filisteus.

No quadro de fundo, se assim podemos chamar, Deus estava continuando sua obra de libertar o seu povo da escravidão. Ele procurava ocasião contra eles através do nazireu. 

Na verdade, a estratégia de amarrá-lo com cordas, era porque Ele queria fazer um “estrago” maior entre os opressores? Sim.  Foram destruídos naquele dia mil homens com uma queixada de jumento.

Ele estava fazendo de Sansão uma ferramenta mais útil em suas mãos...

Quando o Espírito de Deus se apossou dele, as cordas que ele tinha nos braços se tornaram como fios de linho. 

 Não poderia Ele fazer assim conosco também? Pois continua procurando ocasião contra os seus inimigos e pessoas para serem designadas.  
  

Ah! E as cordas? Elas podem ser uma estratégia, são passageiras e não impedem o querer dEle!

Pois é...


2 comentários:

  1. Boa lembrança, irmão. Até mesmo as cordas se tornam meios de Deus agir em nossa vida.

    ResponderExcluir