domingo, 31 de janeiro de 2016

O toque das trombetas.









No capítulo 2 do livro do profeta Daniel tem uma passagem na qual o rei Nabucodonosor, em sua cama pensou no que ia ser depois de seu reinado.

E segundo o verso 31 em diante, viu uma estátua cuja cabeça era de ouro, o peito e braços de prata, ventre e coxas de cobre, pernas de ferro, pés divididos em material barro e ferro.

      Um, dois, três, quatro e cinco. Repetindo, ouro, prata, cobre, ferro e ferro/barro.
Na abertura do sétimo selo apenas introduz o tocar de sete trombetas. Os selos e as trombetas são uma decisão paralela? Sim. Ordens e acontecimentos até o fim? Certamente. 

No verso sete do capítulo oito, temos o toque da primeira trombeta com a queima da terça parte das árvores e do mar com a ordem da segunda. Na terceira foi atingida a terça parte dos rios e fontes de águas. O quarto anjo toca a sua trombeta e foi ferida a terça parte do sol, da lua e estrelas.

A ordem já saiu, um terço será queimado e está realizado progressivamente desde o início do mundo? Sim e o apóstolo Paulo destacou isso no primeiro capítulo da epístola aos romanos no verso 18 em diante.   

Antes da quinta trombeta um anjo no céu diz com grande voz: Ai! Ai! Ai! Dos que habitam sobre a terra por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar! 

No sexto, tem três pragas na qual morrem a terça parte dos homens pelo fogo, fumaça e pelo enxofre.

Tudo isso para os homens se arrependerem de suas más obras.  Mas eles não deixaram de adorar os ídolos, demônios, nem de seus homicídios, feitiçarias, prostituição, ladroices.

Pois é...





Nenhum comentário:

Postar um comentário